Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘ATENDIMENTO’

Entre a preocupação e a revolta..!!

Ontem minha família e eu passamos por um momento preocupante, quando a minha avó materna teve um mau súbito, mas que até o momento parece estar estabilizada. Ela teve um mal-estar e precisou ser internada. No momento ela está na UTI consciente e conversando, mas no pior momento tivemos uma triste surpresa que nos causou revolta.

Foram tiradas algumas radiografias e foi constatado um problema específico. Não vou comentar qual foi o hospital, nem o problema para eu não ter outro problema. Foi preciso então chamar um médico especialista naquele problema, pois o plantonista é geral e após uma meia hora ouvimos um barulho de carro e fomos ver. Desceu o médico e um acompanhante do carro, mal nos cumprimentaram e entraram enquanto ficamos esperando lá fora. O médico parecia sonolento, algo normal as 02h30min da manhã.

Enquanto esperávamos chegaram alguns jovens de carro com uma amiga que tinha bebido um pouco a mais. Vou aproveitar a oportunidade para pedir que só leve um bêbado ao hospital se tiver certeza que vai conseguir contê-lo e tratá-lo. A garota já tinha passado do pior momento e não queria descer do carro de jeito nenhum, mesmo depois de os amigos terem feito toda a ficha de entrada e feito os enfermeiros esperarem por um longo tempo no frio. Ela acabou não recebendo o tratamento e os amigos só serviram para fazer muito barulho e bagunça. Profissionais que varam a madrugada não podem ser obrigados a agüentar este tipo de situação. Um pouco mais de bom senso sempre será bom.

O fato revoltante começou aí. Enquanto observávamos os jovens entrando no carro, o médico especialista saiu do hospital “trançando as pernas”, de sono? Algum remédio de efeito mais forte? Entrou no carro e quando foi dar uma ré, cantou pneu. Ficou claro que ele tinha dificuldades em controlar o carro.

Quando minha mãe saiu do pronto-socorro disse que estranhou, pois o médico olhava para as radiografias e não falava nada. Olhou pra minha avó, debruçou-se na maca e perguntou o dia de nascimento dela. Saber quanto anos ela tem é normal, mas muito estranho a sua observação depois para o médico plantonista geral: “Bonita ela não?”. Não contente com a sua ironia, perguntou a minha avó: “A Sra. prefere morrer em casa ou no hospital? Meu pai também morreu quando eu era jovem…”. Deu algumas recomendações com a fala enrolada e foi embora. Daí o momento em que vimos o tropeço e a desastrosa cena do carro.

Fica a pergunta. Como um médico nesse estado é escalado para atender pacientes de EMERGÊNCIA? Mesmo que ele esteja com algum problema de sono ou sobre o efeito de algum remédio, não poderia ser escalado para exercer a função. Felizmente minha avó não precisou de nenhum tipo de intervenção. E se chegasse algum acidentado que precisasse? Ele iria ser atendido pelo mesmo médico.

Onde está a fiscalização do CRM? Onde está a fiscalização dos Planos de Saúde?

Eu não vi ninguém.

Anúncios

Read Full Post »